Estelionatário que se passava por promotor de Justiça é preso

Na casa do suspeito, foram encontrados vários documentos falsificados, carimbos de advogados e médicos

Estelionatário que se passava por promotor de Justiça é preso
Foto: Divulgação/MPMG

Foi preso pela Polícia Civil, em Betim, Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), na última sexta-feira (13), um homem, de 50 anos, acusado de ser estelionatário. De acordo com o Ministério Público, ele se passava por promotor de Justiça, exibia identidade funcional falsa para atrair vítimas e fazia falsas promessas de conseguir ou facilitar aposentadorias em troca de auxílio pecuniário para as “custas do processo”.

O suspeito encontra-se preso preventivamente no presídio Professor Jason Albergaria, em São Joaquim de Bicas, também na RMBH. De acordo com a polícia, ele é detentor de extensa folha de antecedentes criminais. O Ministério Público se manifestou favoravelmente à prisão do investigado.

O conteúdo continua após o anúncio

Durante as investigações, descobriu-se que o acusado, ao aplicar o golpe, fez mais de 20 vítimas nos últimos quatro meses. Segundo as investigações, por meio das redes sociais, ele utilizava perfil falso com diversas fotos do Ministério Público e da Polícia Civil. Ao conversar com as pessoas, ele alegava ser a “instituição policial responsável por sua proteção”.

Conforme apurado, o investigado, que praticava o mesmo golpe desde 2007, era extremamente ousado. Em inúmeras vezes, ele atraiu suas vítimas para os prédios do Poder Judiciário e lá simulava audiências e despachos. Foi apurado que o homem falsificava carimbos e assinaturas de advogados para forjar “procurações” e ter acesso a processos judiciais em curso. As investigações apontaram ainda que o falso promotor de Justiça, durante os longos anos dedicados à prática do delito de estelionato, acumulou, em seu “currículo” mais de 200 vítimas.

Na casa do suspeito, acusado de ser estelionatário, foram encontrados vários documentos falsificados, carimbos de advogados e médicos, receitas médicas, carteiras de trabalho, carteiras com brasões utilizadas para aplicar golpe e certa quantia em dinheiro.

MAIS NOTÍCIAS