Processo da “livrada na cara” entre vereadores: pedidos de desculpas e doação de cestas básicas

“Não quero ganho financeiro na causa. Quero apenas moralizar a Câmara de João Monlevade”

Processo da “livrada na cara” entre vereadores: pedidos de desculpas e doação de cestas básicas
Vereadores encerraram processo na Justiça – Foto: Cíntia Araújo/DeFato Online|Sinval foi acompanhado do advogado Mateus Duarte – Foto: Cíntia Araújo/DeFato Online

Doação de 15 cestas básicas e um pedido de desculpas público. Esse é o resultado do processo envolvendo os vereadores Belmar Diniz (PT) e Sinval Dias (PSDB). O caso ficou conhecido como “livrada na cara”.

Nesta quarta (4), no Fórum Milton Campos, os edis foram acompanhados dos seus advogados. Após audiência, ficou acordado que Sinval doará 15 cestas básicas ao Lar São José, instituição designada por Belmar. Além disso, o vereador deverá fazer retratação durante uso da tribuna na próxima quarta (11). Ele deverá pedir desculpas a Belmar, aos demais vereadores e ao povo monlevadense.

A reportagem conversou com Belmar Diniz. Este disse que seu objetivo foi alcançado. “Não quero ganho financeiro na causa. Quero apenas moralizar a Câmara de João Monlevade e mostrar aos vereadores que eles devem se respeitar e respeitar o povo da nossa cidade”, enfatizou. Sinval Dias ainda não se manifestou.

O conteúdo continua após o anúncio

Relembre

Episódio foi em abril deste ano – Foto: Reprodução

Durante a primeira audiência, dia 16 de julho, Belmar disse ter sido agredido, enquanto Sinval diz ter sido ofendido, pela sua idade. Enquanto Belmar usava a tribuna, Sinval dirigiu-se ao presidente da Câmara, Leles Pontes (Republicanos), afirmando que o colega não estava inscrito no livro para uso da tribuna. Belmar pediu a alguém que arrumasse óculos para o colega enxergar melhor. Leles apontou que a secretária esqueceu de colocar o nome de Belmar. Assim, Sinval aproximou-se de Belmar e tentou esfregar o livro no rosto do petista. Esse puxou o livro e arremessou ao chão, na direção de Sinval. Desde então os dois vereadores não conversam mais.

 

MAIS NOTÍCIAS